sexta-feira , 28 julho 2017
Open Popup
NOVIDADES GREEN
Home / Notícias / Despoluição dos lagos do Parque do Ibirapuera será feita através de biotecnologia
Despoluição dos lagos do Parque do Ibirapuera será feita através de biotecnologia
imagem divulgação

Despoluição dos lagos do Parque do Ibirapuera será feita através de biotecnologia

A Prefeitura de São Paulo fechou uma parceria com a empresa francesa Phytorestore para despoluir os dois lagos do Parque Ibirapuera, na Zona Sul. A empresa foi premiada pela despoluição do Rio Sena, em Paris. A limpeza usará plantas nativas, em um processo sem agentes químicos e que não gera lodo ou odor. O valor estimado desta iniciativa é de R$ 1,2 milhão e será feita por doação, sem contrapartidas para o município.

Em São Paulo, o processo será semelhante ao utilizado no Rio Sena. Por meio da biotecnologia, serão criados nos lagos jardins filtrantes com plantas aquáticas nativas, que irão despoluir a água de forma natural e constante, utilizando as raízes. Durante o processo, não será necessário esvaziar os lagos ou retirar os animais que vivem neles.

O projeto também agregará valor paisagístico ao parque, pois as plantas utilizadas florescem em até 70 dias. A Prefeitura recebeu para o projeto a doação de 16 mil mudas. Atualmente, a biotecnologia dos Jardins Filtrantes já é utilizada no tratamento de esgotos sanitários, efluentes industriais e até do chorume em aterros.

Os estudos para o início do projeto começam nos próximos dias e irão determinar o tamanho do jardim, de acordo com o volume atual de água e do estágio de poluição dos lagos.

O Parque Ibirapuera ganhará também um Centro de Educação Ambiental, fomentado por meio de um acordo de cooperação de pesquisa científica entre a França e o Brasil. Além de receber visitas monitoradas, o local irá promover a troca de informação e tecnologia sobre a água e o solo entre universidades paulistas e francesas.

Via Prefeitura de SP

Comentários
Scroll To Top